O nível socioeconômico da família se relaciona com a atividade física habitual de adolescentes? 

Autor(es)
Barros, Júnio Almeida.
<junioalmeidab@gmail.com>
Ano de publicação
2019
Data da defesa
06/09/2019
Curso/Outros
Educação Física
Tipo
TCC - Trabalho de Conclusão de Curso
Local
CAMPUS ARAPIRACA, ARAPIRACA
Resumo

A atividade física mantém uma relação inversa com a propensão de adquirir doenças. Pessoas fisicamente ativas apresentam tendência à serem mais saudáveis ou de apresentarem menores taxas de mortalidade por doenças crônico-degenerativas. Diante das mudanças das normas, valores e constituição social dos últimos anos, um dos fatores que podem agir sobre a atividade física é o nível sociodemográfico, onde as condições socioeconômicas têm uma forte associação com a morbimortalidade e com a prevalência de fatores de riscos para algumas doenças, principalmente em populações mais jovens. O presente estudo tem o objetivo de identificar as implicações dos fatores socioeconômicos no nível de atividade física de adolescentes de 12 a 17 anos estudantes no município de Arapiraca – AL. A amostra do estudo foi formada por 134 adolescentes de ambos os sexos, com idades entre 12,00 e 17,90 anos residentes na cidade de Arapiraca – AL e matriculados em escolas públicas ou privadas no referido município. O instrumento utilizado para a obtenção dos dados foi o Questionário para Medida de Atividade Física e Fatores Associados em Adolescentes proposto por Farias Júnior (2010), do qual obteve-se Características Sociodemográficas, Medida de Atividade Física, Medidas antropométricas (altura e massa), Índice de Massa corporal e exposição a aparelhos de tela. Posteriormente, para a análise de dados foram empregados os procedimentos de análise de estatística descritiva e inferencial. A regressão logística multivariada foi usada para examinar a associação entre o Nível Socioeconômico e a Atividade física Habitual, ajustando por Sexo, Idade, Índice de Massa Corporal (IMC) e Tempo de Exposição a Telas. Foram 134 estudantes avaliados, sendo maioria meninas (57,5%), matriculados em escolas da rede de ensino privado (51,5%). Dos avaliados, 5,2% são da classe econômica mais alta (A), 45,5% são da Classe B, 41,0% da classe C e 8,2% da classe D. Os resultados não mostraram efeito significativo entre o nível socioeconômico e a prática de atividade física dos adolescentes de ambos os sexos. Ainda, o nível habitual de atividade física também não se mostrou associado a qualquer outra variável independente do estudo, permitindo portanto concluirmos que outras variáveis agem na atividade física. 

Abstract

Motor Activity maintains an inverse relationship with the propensity to acquire disease. Physically active people tend to be healthier or have lower mortality rates from chronic degenerative diseases. Given the changes in the norms, values and social constitution of recent years, one of the factors that may affect Motor Activity is the socio-demographic level, where socioeconomic conditions have a strong association with morbidity and mortality and the prevalence of risk factors for some diseases, especially in younger populations. This study aims to identify the implications of socioeconomic factors on the Motor Activity level of adolescents from 12 to 17 years old students in Arapiraca - AL. The study sample consisted of 134 adolescents of both sexes, aged between 12.00 and 17.90 years living in the city of Arapiraca - AL and enrolled in public or private schools in that municipality. The instrument used to obtain the data was the Questionnaire for Physical Activity Measurement and Associated Factors in Adolescents proposed by Farias Júnior (2010), which obtained Sociodemographic Characteristics, Motor Activity Measurement, Anthropometric measures (height and mass), Body mass index and exposure to screen devices. Subsequently, for data analysis, descriptive and inferential statistics analysis procedures were employed. Multivariate logistic regression was used to examine the association between Sex, Age, Social Class, Body Mass Index (BMI) and Screen Exposure Time on Motor Activity Level. There were 134 students evaluated, mostly girls (57.5%), enrolled in private schools (51.5%). Of those evaluated 5.2% are from class A, 45.5% are from class B, 41.0% from class C and 8.2% from class D. The results showed no significant effect between Social Class and the practice of Motor Activity of adolescents of both sexes. Also, the usual level of Motor Activity was not associated with any other independent variable of the study, thus allowing us to conclude that other variables act on Motor Activity. 

Orientadores
Dr. Luz, Leonardo Gomes de Oliveira.
Membros da Banca
Me. Santos, Douglas Henrique Bezerra.
Ma. Pinheiro, Ingrid Kelly Alves dos Santos.
Palavras-chave
Atividade física.
Nível socioeconômico.
Adolescentes.
Áreas do Conhecimento/Localização
Coleção Propriedade Intelectual - CPI/BCA.
Categorias CNPQ
4.00.00.00-1 Ciências da saúde.
Visualizações
7
Observações


Não foi possível exibir o PDF