Modelagem espaço - temporal dos casos de sífilis congênita no estado de Alagoas entre 2008-2017

Modelagem espaço - temporal dos casos de sífilis congênita no estado de Alagoas entre 2008-2017

Autor(a)
Silva, Taciana Dias Nogueira.
<tacyana-dn@hotmail.com>
Ano de publicação
2022
Data da defesa
25/05/2021
Curso/Outros
Enfermagem
Número de folhas
50
Tipo
TCC - Trabalho de Conclusão de Curso
Local
UFAL, Campus Arapiraca, Unidade Educacional ARAPIRACA
Resumo

Sífilis congênita é uma doença infecciosa causada pela transmissão vertical da bactéria Treponema pallidum, e é considerada um problema de saúde pública mundial. O presente estudo analisou a distribuição espacial e temporal dos casos de sífilis congênita no estado de Alagoas, nordeste do Brasil, entre 2008 e 2017. Para tanto, foi realizado um estudo ecológico de séries temporais de todos os casos de sífilis em gestantes e sífilis congênita reportados no estado de Alagoas entre 2008 e 2017. A coleta de dados foi realizada em agosto de 2019 nos bancos de dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Os dados foram analisados mediante o uso da estatística descritiva. A análise da série temporal baseou-se no modelo de regressão por pontos de inflexão e, para a análise espacial, usou-se o modelo bayesiano e índice de Moran. Durante o período de estudo, foram notificados 2.703 casos de sífilis em gestantes e 3.141 casos de sífilis congênita. A incidência média foi de 5,10 gestantes/1000 nascidos vivos (NV) para sífilis em gestantes e 5,93 casos/1000 nascidos vivos (NV) para sífilis congênita. A maioria das gestantes com filho portador de sífilis congênita tinham idade entre 20 a 29 anos, autodeclaradas pardas, tinham baixa escolaridade, realizaram o pré-natal e foram diagnosticadas com sífilis materna no parto ou curetagem. As crianças tiveram diagnóstico da sífilis congênita classificado como recente, em sua maioria até o sexto dia de vida. Este estudo evidenciouum padrão de tendência crescente da sífilis congênita no períodoanalisado, e mostrou a existência de aglomerados de municípios com alto risco para sífilis congênita em Alagoas. Por fim, os resultados desta pesquisa reforçam a importância do controle dos casos de sífilis em gestante e congênita, assim como, a necessidade de investir e organizar os serviços de saúde da atenção primária para o fortalecimento das políticas públicas que abordam o assunto, visando iniciativas de promoção de saúde, educação em saúde, melhoria da qualidade da atenção básica e capacitação dos profissionais de saúde.

Abstract

Congenital syphilis is an infectious disease caused by vertical transmission of the Treponema pallidum bacterium, and it is considered a public health problem worldwide. This study analysed the spatial and temporal distribution of cases of congenital syphilis in Alagoas state, northeast Brazil, between 2008 and 2017. It was conducted an ecological time series study of all cases of syphilis in pregnant women and congenital syphilis reported in the state of Alagoas between 2008 and 2017. Data were collected in August 2019 in the databases of the Department of Informatics of the Unified Health System (DATASUS). The data were analyzed using descriptive statistics. The time series analysis was based on the inflection point regression model. Additionally, the Bayesian model and the Moran index were used for spatial analysis. A total of 2,703 cases of syphilis in pregnant women and 3,141 cases of congenital syphilis were reported. The mean incidence was 5.10 pregnant women/1000 live births (LB) for syphilis in pregnant women and 5.93 cases/1000 live births (LB) for congenital syphilis. Most pregnant women who had a child diagnosed with congenital syphilis were 20-29 years old, self-declared brown, had low education, performed prenatal care, and diagnosed with maternal syphilis at delivery or curettage. The children had diagnosis of congenital syphilis classified as recent, mostly until the sixth day of life. This study showed an increasing trend pattern of CS in the evaluated period, showed the existence of clusters of municipalities with high risk for congenital syphilis in Alagoas. Finally, the results of this research reinforce the importance of controlling cases of syphilis in pregnant women and congenital syphilis, as well as, the need to invest and organize primary care health services to strengthening of public policies that address the issue, aiming at health promotion initiatives, health education, improvement of the quality of primary care and training of health professionals.

Orientador(a)
Dr. Santos, Victor Santana.
Coorientador(a)
Dr. Souza, Carlos Dornels Freire de.
Banca Examinadora
Ma. Silva, Brenda Evelin Barreto da.
Ma. Araújo, Sandra Taveiros de.
Palavras-chave
Gestantes.
Sífilis.
Sífilis congênita.
Áreas do Conhecimento/Localização
Coleção Propriedade Intelectual - CPI/BSCA.
Categorias CNPQ
4.00.00.00-1 Ciências da saúde.
Visualizações
24
Observações

Acesso restrito solicitado pela autora. Provável liberação em 11 maio 2023.